«TER PÁTRIA NÃO É NASCER NUM CERTO SÍTIO, É TER DE COMER, TER CASA, ESCOLA, ASSISTÊNCIA MÉDICA». Av. Dr. Magalhães Lemos. Edifício Impacto, Bloco 21. befelgueiras@gmail.com Telemóvel 917684030
Segunda-feira, 25 de Abril de 2005
Intervenção de João Teixeira Lopes sobre o 25 de Abril na Assembleia da República

cravo1.jpg


      Olhamos para Abril com uma força viva e actuante, não no sentido nostálgico ou saudosista de quem faz uma peregrinação anual a um ente morto.


      O 25 de Abril foi um momento único e irrepetível, do qual herdámos força, rebeldia e insubmissão. Força, rebeldia e insubmissão para as lutas que no presente fazem o presente e que no presente rasgam o futuro.


      Longe de qualquer acomodação, continuamos transgressores dos poderes que oprimem, transgressores na exacta medida da origem da palavra, atravessando margens, alargando e desafiando limites. Como Paul Éluard nascemos para a nomear, para a cumprir, para o seu escrupuloso desígnio.


      Sem ela, nada. Com ela, tudo.


      Ela: liberdade.



publicado por befelgueiras às 19:12
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
 O que é?

Sábado, 23 de Abril de 2005
Paulo Kuczynski

Esc.jpg


PAULO KUCZYNSKI


Escritório de Arte


Cícero Dias 1928


52 x 36,5 cm



publicado por befelgueiras às 20:15
link do post | comentar | favorito
 O que é?

Quinta-feira, 21 de Abril de 2005
Diana Lowenstein - foto digital

 


Foto digital.jpg


Diana Lowenstein
Vicenta Casañ
Ice box
2004
39 x 59 pulg.
Fotografía Digital
Ed: 10  


 


 



publicado por befelgueiras às 19:56
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é?

Sábado, 16 de Abril de 2005
Não à Constituição Europeia

comicioparis.gif


       O «Tratado que estabelece uma Constituição para a Europa» é uma fraude que resulta de um processo de elaboração que reclama um título, o da Convenção, mas que constitui uma subversão da democracia porque os representantes foram nomeados pelos governos e pelos parlamentos, e não pelo povo. O seu conteúdo, em três domínios decisivos, não é melhor:


      *   Despreza, diminui ou desvaloriza o acervo de direitos mais importantes consagrados nas Constituições de quase todos os países europeus, harmonizando-os, em regra, «por baixo». Saúde, Educação e Cultura continuam a ser domínios de cada Estado membro e onde a Europa abdica de ter políticas e recursos.


      *   Ao invés, em matéria de gastos militares e alinhamentos atlânticos, bem como nas disposições de natureza monetária e orçamental, é absolutamente taxativo nas regras e nos instrumentos que passam a blindar constitucionalmente as políticas que têm sido seguidas.


      *   Finalmente, o Tratado consagra uma arquitectura institucional onde a iniciativa legislativa é um privilégio exclusivo da Comissão e o legislador principal é o Conselho Europeu dos primeiros ministros, de acordo com um sistema de votos onde nada se pode decidir contra ou sem a concordância do "Directório" - o Reino Unido, a Alemanha, a França e a Itália.


      A rejeição deste Tratado é a condição para o progresso da Europa.


      O Bloco de Esquerda continua a defender uma refundação democrática e social da Europa que se exprima numa alternativa constitucional que defina o quadro democrático de cooperação entre as Nações e os grandes objectivos de uma Europa de pleno emprego e direitos sociais. Esse quadro democrático deve assentar em três pilares fundamentais:


      *   Uma arquitectura institucional onde o poder legislativo resida num sistema parlamentar em duas câmaras de eleição directa, sem prejuízo de plataformas de acção coordenada entre os países, que preservem a sua capacidade de decisão;


      *   A convergência das políticas económicas, fiscais e orçamentais para a criação de emprego e de qualificações, e o avanço em direcção a um sistema de protecção social a nível europeu;


      *   A consagração de uma Europa de cidadania cosmopolita, que responda aos limites do multiculturalismo, não com o isolamento, mas com a transculturalidade. Não queremos afastar o Mundo das nossas fronteiras nem «colonizar» a cabeça do outro: assumimos a mestiçagem de culturas como parte indissociável do projecto europeu.



publicado por befelgueiras às 19:53
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
 O que é?

Quinta-feira, 14 de Abril de 2005
José Gil - Portugal Hoje II

      As ditaduras opõem-se ao progresso do conhecimento em geral e ao das ciências humanas em particular. Não há investigação, avanço no domínio científico, sem discussão, troca de ideias, imaginação sem entraves, elaboração livre de modelos, etc. O que supõe necessariamente liberdade de pensamento, de trabalho e de opinião - tudo o que a ditadura reprime por princípio.


      Não há pois progresso científico sem liberdade e o próprio conhecimento dos mecanismos políticos, sociais, jurídicos que regem a democracia, quer dizer, o próprio conhecimento da democracia implica não só a investigação das ciências humanas como o aprofundamento da prática democrática.


      (...)


      (...) o Portugal democrático de hoje é ainda uma sociedade de medo. É o medo que impede a critica. Vivemos numa sociedade sem espírito critico - que só nasce quando o interesse da comunidade prevalece sobre o dos grupos e das pessoas privadas.


      (...)


      Não se pode, hoje, dissociar direitos democráticos e direitos de cidadania. A cidadania política, que engloba as eleições livres com o direito universal de escolher os seus representantes, não se concebe sem os direitos sociais, iguais para todos - direitos à educação, à saúde e todo o tipo de serviços sociais.


          José Gil - PORTUGAL HOJE: O Medo de Existir



publicado por befelgueiras às 23:32
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é?

Sexta-feira, 8 de Abril de 2005
Fotografia Victor Vazquez - Twuins (gemelos)

Victor Vazquez - Twins (Gemelos) - Fotografia.jpg



publicado por befelgueiras às 19:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é?

Quarta-feira, 6 de Abril de 2005
IV Convenção Nacional do Bloco de Esquerda

convencao.gif



publicado por befelgueiras às 19:29
link do post | comentar | favorito
 O que é?

Adere ao BE

adere.gif



publicado por befelgueiras às 19:22
link do post | comentar | favorito
 O que é?

III Conferência de Jovens do Bloco de Esquerda - Coimbra - 8/10 Abril - 2005

panfletofinalissimo1.gif



publicado por befelgueiras às 00:58
link do post | comentar | favorito
 O que é?

Domingo, 3 de Abril de 2005
PAPAS

      OS DOZE MAIORES PONTIFICADOS DA HISTÓRIA


 


papa_joao_paulo_II.jpg


       1º S. Pedro de Batsaída - 34 ou 37 anos


      2º Pio IX (1846-1878) - 31 anos e 7 meses


      3º João Paulo II (1978-2005) - 26 anos e 6 meses


      4º Leão XIII (1878-1903) - 25 anos e 5 meses


      5º Pio VI (1775-1799) - 24 anos e 6 meses


      6º Adriano (772-795) - 23 anos e 10 meses


      7º Pio VII (1800-1823) - 21 anos e 5 meses


      8º Alexandre III (1159-1181) 21 anos e 11 meses


      9º Silvestre I (314-335) - 21 anos e 11 meses


      10º Leão I (440-461) - 21 anos e 1 mês


      11º Urbano VIII (1623-1644) - 20 anos e 10 meses


      12º Leão III (795-816) - 20 anos e 5 meses



publicado por befelgueiras às 12:25
link do post | comentar | favorito
 O que é?

Sexta-feira, 1 de Abril de 2005
José Gil - Portugal Hoje I

      O  PAÍS  DA  NÃO  INSCRIÇÃO


      [...] Em Portugal nada acontece, «não há drama, tudo é intriga e trama» [...]


      [...] O 25 de Abril recusou-se [...] a inscrever no real os 48 anos de autoritarismo salazarista. Não houve julgamentos de Pides nem responsáveis do antigo regime. Pelo contrário um imenso perdão recobriu com um véu a realidade repressiva, castradora, humilhante de onde provinhamos. Como se a exaltação afirmativa da «Revolução» pudesse varrer, de uma penada, esse passado negro. Assim se obliterou das consciências e da vida a guerra colonial, as vexações, os crimes, a cultura do medo da pequenez medíocre que o salazarismo engendrou. Mas não se constrói um «branco» (psíquico ou histórico), não se elimina o real e as forças que o produzem, sem que reapareçam aqui e ali, os mesmos ou outros estigmas que testemunham o que se quis apagar e que insiste em permanecer.


      Quando o luto não vem inscrever no real a perda de um laço afectivo (de uma força), o morto e a morte virão assombrar os vivos sem descanso.


      Num outro aspecto ainda, a não-inscrição aparece mais grave por não se ter liquidado a si própria, já que a herdámos também do salazarismo.


      Se, num certo sentido, se disse até há pouco (hoje diz-se menos) que «nada mudou» apesar das liberdades conquistadas, é porque muito se herdou e se mantém das antigas inércias e mentalidades da época da ditadura: desde o medo, que sobrevive com outras formas, à «irresponsabilidade» que predomina ainda nos comportamentos dos portugueses.


            José Gil - PORTUGAL HOJE: O Medo de Existir



publicado por befelgueiras às 15:08
link do post | comentar | favorito
 O que é?

Meteorologia
Amnistia Internacional
mais sobre mim
pesquisar
 
A Barraca
links
Julho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


últ. comentários
Encontrei esse mesmo texto na nova Apostila Decisã...
Olá Carlos Carvalho!!!!!A campanha do bloco vai de...
Parabéns pelo post. Visitem o terradesousa.blogspo...
Olá,Meu nome é Priscila Andrade e faço parte da eq...
Acabou-se a «mama» ao oportunista de Caramos?Ou el...
Pois, pois... Mas pelo menos não alinhava por dois...
Foi um resultado bom demais, mais um candidato pat...
E AS IDEIAS QUANDO É QUE VEM ??????????ANTES DOS A...
Bloco Esquerda Felgueiras para Liliana mostrar det...
2009/9/25 Liliana Costa Rádio NFM <liliana.cost...
mais comentados
subscrever feeds
blogs SAPO
as minhas fotos
arquivos

Julho 2016

Junho 2016

Setembro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004